O investigador José Brandão fez um levantamento dos títulos que tiveram problemas com a Censura e a Polícia Política, durante o Estado Novo. O jornal Expresso publicou um artigo com 900 desses títulos: desde livros de humoristas como José Vilhena, a filósofos, como Marx,  passando por romancistas como Jorge Amado. Clique na imagem para ter acesso ao link do artigo.

  1. Anónimo diz:

    Muito oportuno este ‘post’!

  2. admin diz:

    As bibliotecas teriam muitos menos ( bons) livros…
    É importante (re)lembrar.